Bgames
Olá visitante! Seja bem vindo ao nosso fórum!

Para você ter total acesso ao nosso fórum é preciso que você se cadastre.

Cadastre-se Aqui!


PARA VER LINKS E IMAGENS É PRECISO SE REGISTRAR!

[Tutorial] Completo PHP #aula n° 1#

Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Ir em baixo

[Tutorial] Completo PHP #aula n° 1#

Mensagem por Swift em Sab 22 Set 2012 - 22:20

[Você precisa estar registrado e conectado para ver esta imagem.] [Você precisa estar registrado e conectado para ver esta imagem.] [Você precisa estar registrado e conectado para ver esta imagem.] [Você precisa estar registrado e conectado para ver esta imagem.] [Você precisa estar registrado e conectado para ver esta imagem.] [Você precisa estar registrado e conectado para ver esta imagem.] [Você precisa estar registrado e conectado para ver esta imagem.]


[Você precisa estar registrado e conectado para ver esta imagem.] [Você precisa estar registrado e conectado para ver esta imagem.] Sr.Herry Apresenta [Você precisa estar registrado e conectado para ver esta imagem.] [Você precisa estar registrado e conectado para ver esta imagem.] PHP Completo incluido Site [Você precisa estar registrado e conectado para ver esta imagem.] [Você precisa estar registrado e conectado para ver esta imagem.]

Proximo Tutorial [Você precisa estar registrado e conectado para ver esta imagem.] [Você precisa estar registrado e conectado para ver esta imagem.][Você precisa estar registrado e conectado para ver este link.]

Introdução

PHP possibilita a você inserir funcionalidades avançadas no seu site.

A
finalidade deste tutorial é fazer uma introdução clara e precisa do
PHP. Iniciaremos do zero, mas é necessário que você possua um bom
conhecimento da linguagem HTML. Caso você não conheça HTML recomendamos
começar com a leitura do nosso tutorial HTML.

PHP pode ser usado
em vários contextos. - fóruns de discussão, enquetes, lojas on-line,
pontes SMS, listas de discussão, etc. A única limitação para o uso do
PHP é a sua imaginação. Não é difícil aprender PHP, mas esteja ciente de
que PHP é mais sofisticado e exige mais do que o aprendizado da HTML.
Assim, lembre-se que a paciência no processo de aprendizado é uma
virtude.

Obviamente este tutorial não vai lhe ensinar tudo sobre
PHP. Será necessário seu engajamento efetivo e realização de
experimentos com os códigos mostrados. Se você necessitar de ajuda
durante o processo de aprendizado recomendamos usar nossos fóruns. Lá
você encontrará pessoas especializadas prontas para dar dicas, sugestões
e conselhos.


O que é necessário?

Supõe-se que você tem acesso a um editor de texto é sabe como usá-lo.

Você
precisa ter acesso a um computador ou a um servidor capaz de processar
PHP. Ao contrário do que ocorre com a HTML e as CSS, para PHP não faz a
menor diferença o navegador que o usuário está usando, mas o importante é
o tipo de servidor na qual sua página está hospedada. Isto porque PHP é
uma tecnologia processada no lado do servidor.

Nas lições
seguintes você aprenderá como o PHP funciona e como configurar seu
computador para processar PHP. Em seguida você aprenderá sobre funções e
métodos do PHP.

Ao término deste tutorial você estará em
condições de desenvolver scripts PHP e em consequência poderá usar as
ilimitadas funcionalidades da linguagem para adicionar interatividade às
suas páginas web.
Lição 1: O que é PHP

Quando se começa o estudo de PHP as primeiras perguntas são: O que é PHP? Como ele funciona?

Nesta
lição daremos a resposta a estas duas perguntas. É essencial que você
conheça as respostas antes de começar a desenvolver com PHP. O exato
conhecimento do que é e de como funciona o PHP servirá de base para
acelerar de forma significativa o seu processo de aprendizado.

Bem, vamos começar!


O que é PHP?

Inicialmente
PHP foi um acrônimo para Personal Home Pages, mas posteriormente
assumiu o significado de PHP: Hypertext Preprocessor.

PHP foi
criado por Rasmus Lerdorf nascido na Groelândia - Dinamarca e
posteriormente começou a ser desenvolvido como código livre. PHP não é
um Padrão Web - é uma tecnologia de código aberto. PHP não é uma
linguagem de programação no sentido estrito da palavra, mas sim uma
tecnologia que permite a inserção de scripts nos seus documentos.

A
descrição sumária do que seja uma página PHP é que trata-se de um
arquivo gravado com a extensão .php contendo tags HTML e scripts que são
executados em um servidor web.
Como funciona o PHP?

A melhor
maneira de explicar como o PHP funciona é comparando-o com a HTML.
Suponha que você digite o endereço de um documento HTML (por exemplo:
[Você precisa estar registrado e conectado para ver este link.] na barra de endereços do navegador.
Esta ação desencadeia a requisição de uma página HTML. A requisição é
ilustrada conforme a figura a seguir:


[Você precisa estar registrado e conectado para ver esta imagem.]

Código:
http://www.meusite.com/page.php
- requisitando uma página PHP - o servidor inicia seu trabalho de processamento:

[Você precisa estar registrado e conectado para ver esta imagem.]

O
servidor lê cuidadosamente o arquivo PHP procurando por tarefas a serem
por ele executadas. Somente depois de executar eventuais tarefas o
resultado é enviado ao cliente. É importante ressaltar que o cliente
recebe e vê somente o resultado do trabalho do servidor e não as
instruções para executar o trabalho.

Se você clicar a
funcionalidade do navegador para inspecionar o código fonte de uma
página PHP você não verá código PHP - verá somente as tags HTML e seus
conteúdos. Assim, não é possível visualizar os scripts PHP inseridos em
uma página inspecionando o código fonte da página. Você terá que
aprender PHP de outras maneiras, por exemplo: lendo nosso tutorial.


Neste tutorial você aprenderá como escrever comandos para serem executados pelo servidor!..
...

Então,
a primeira coisa que você precisa é... um servidor! Mas, não se apavore
- você não precisará comprar um novo computador. Você precisa
simplesmente instalar um software no seu computador que fará com que ele
funcione como um servidor. Outra opção é ter um site hospedado em um
servidor que suporte PHP. Neste caso você precisa estar on-line enquanto
codifica.



Opção 2: Instalação de PHP no seu computador


PHP é uma tecnologia que funciona no lado do servidor.
Então, você precisa de um servidor para processar PHP. Você não
desembolsará um tostão para dispor de um servidor e existem várias
opções para obter um.



Esta lição mostra três opções para você dispor de um servidor. Nela
faremos uma breve introdução às três opções (escolha a opção que melhor
atenda às suas necessidades). Depois que o seu servidor estiver
instalado e funcionando poderemos passar para a lição 3 na qual você
criará sua primeira página PHP.



Opção 1: Servidor remoto de hospedagem



A primeira escolha é hospedar seu site em um servidor de hospedagem que suporte PHP.




  • Teste para verificar se o servidor suporta PHP
  • Se você ainda não dispõe de um servidor remoto pode criar uma conta gratuita 000webhost.com que suporta PHP.


Opção 2: Instalação de PHP no seu computador



Não existe uma receita de bolo para instalar PHP em um computador.
Esta opção é recomendada para usuários com experiência, mas usuário
comum não está impedido de escolhê-la. Basta seguir as instruções para
download e instalação (em inglês) contidas nos links a seguir:





  • Guia de instalação no Windows
  • Guia de instalação no Mac
  • Guia de instalação no Linux


Opção 3: XAMPP



XAMPP é um programa que habilita PHP no computador sem necessidade
de instalação complicada pelo usuário. É indicado para usuários comuns.





  • Aprenda como instalar XAMPP



Lição 3: Sua primeira página PHP


Nas
lições 1 e 2 aprendemos o que é PHP e instalamos um servidor ou vamos
usar um servidor remoto para seguir nossas lições. Assim, estamos em
condições de criar nossa primeira página PHP. Seguiremos um caminho
simples e fácil, contudo ao chegar ao final da lição você entenderá
muito mais de PHP e saberá o que pode fazer com ele.

Basicamente um arquivo PHP é um arquivo de texto com a extensão .php consistindo de:

Texto
Tags HTML
Scripts PHP

Você já sabe o que são textos e tags HTML. Então vamos examinar os scripts PHP.
Scripts PHP

O
Grupo de documentação do PHP detalha e desenvolve documentaçãoa
documentação para o PHP. Neste nosso tutorial nós, frequentemente,
faremos referência e apontaremos para links naquela documentação. O
objetivo é que você consulte e se familiarize com a documentação e fique
em condições de encontrar respostas para suas dúvidas na documentação.
PHP envolve tantas funcionalidades que é impossível aprender tudo em um
tutorial. Em compensação PHP não é difícil. Ao contrário, PHP é uma
linguagem parecida com o inglês.

Vamos começar com sua primeira página.
Examplo: Hello World!

Comece
gerando um documento HTML e grave-o na raiz do site com o nome page
php. Se você usa XAMPP, (ver lição 2), o caminho no seu computador é:
"c:\xampp\htdocs\page.php" (ali seu computador é um servidor).


Código:
 
   
   

   
   

   
   


Na lição 1 ensinamos que PHP destina-se a escrever comandos para o servidor.. Vamos escrever um comando para o servidor.

Primeiramente devemos dizer ao servidor onde PHP começa e onde termina. Para isso usamos as tags
respectivamente, para marcar o início e o fim do código a ser executado
pelo servidor (na maioria dos servidores é suficiente escrever
Acrescente o seguinte código na sua marcação HTML:


Código:
 
   
   
   
   

   
    echo "[b]Hello World![/b]

";

    ?>

   
     


Se você abrir o documento em um navegador deverá ver algo parecido com o seguinte:


[Você precisa estar registrado e conectado para ver esta imagem.]

Observe o que acontece quando você examina o código fonte do documento (selecione "view source")
:

[Você precisa estar registrado e conectado para ver esta imagem.]

O
código PHP sumiu! Como foi dito na lição 1, apenas o servidor "vê" o
código PHP - o cliente (no caso o navegador) "vê" somente o resultado!

Vamos examinar o que acontece. Pedimos ao servidor para escrever Hello World!

.
Em linguagem técnica podemos dizer que usamos a função Documentação
PHPecho para instruir o servidor a escrever uma string para o cliente. O
ponto e vírgula termina o comando. Não se apavore! Tentaremos manter o
uso de linguagem técnica a um mínimo possível.

Este primeiro
exemplo, sem dúvida, não é nada empolgante. Espere um pouco! Daqui para
frente as coisas se tornarão cada vez mais empolgantes. Vejamos outro
exemplo.
Exemplo: Agora!

Vamos fazer o servidor escrever mais. Podemos, por exemplo, pedir ao servidor para escrever a data e hora atual:


Código:
 
   
   

   
   

   
    echo date("r");

    ?>

   
   


O resultado em um navegador é algo como mostrado a seguir:


[Você precisa estar registrado e conectado para ver esta imagem.]

E o código HTML correspondente é:

[Você precisa estar registrado e conectado para ver esta imagem.]

Está ficando empolgante. Certo?

Fizemos
o servidor mostrar a data e hora na página renderizada. Notar que se
você recarregar a página uma nova data e hora será mostrada. O servidor
escreve a data e hora toda vez que a página é enviada ao cliente.

É
importante notar que o código HTML renderizado contém apenas a data -
não é mostrado o script PHP. Assim, não importa o navegador que o
usuário está usando o resultado é sempre o mesmo. Atualmente, todas as
funcionalidades que são executadas no lado do servidor sempre funcionam
em todos os navegadores!

Chamamos a atenção novamente para o
ponto e vírgula no final de uma linha de código PHP. Este ponto e
vírgula é obrigatório ao final de um comando. Se você esquecer o script
não funcionará.

No exemplo nós usamos documentaçãodate, que é uma função destinada a retornar a data e hora atuais no servidor.

Vamos ampliar o exemplo escrevendo uma string e uma function - separadas por um "." (ponto) - observe a seguir:


Código:
 
         
         
         
         

       
    echo "O grupo data/hora atual é: " . date("r") . "
";

    ?>

   
   


O resultado em um navegador é algo como mostrado a seguir:

[Você precisa estar registrado e conectado para ver esta imagem.]

E o código HTML correspondente é:

[Você precisa estar registrado e conectado para ver esta imagem.]

Lição 4: Trabalhando com datas e horas

Nesta
lição você aprenderá as diferentes maneiras de trabalhar com datas e
horas usando o PHP. Começaremos mostrando exemplos bem simples com a
finalidade de mostrar o que PHP é capaz de fazer. Nesta lição
estudaremos com detalhes a função documentaçãodate do PHP.
Funções para data e hora

PHP
nos fornece uma série de funções relacionadas a data e hora. Nesta
lição veremos a mais importante destas funções; a função
documentaçãodate.

Usando-se os diferentes parâmetros previstos
para a função documentaçãodate ela retornará o grupo data/hora em
diferentes formatos. Os parâmetros mais usuais são:

date("y")
Retorna o ano atual - para o dia de hoje o valor retornado é: 12
date("m")
Retorna o mês atual - para o dia de hoje o valor retornado é: 09
date("F")
Retorna o nome do mês atual - para o dia de hoje o valor retornado é: September
date("d")
Retorna o dia do mês atual - para o dia de hoje o valor retornado é: 23
date("l")
Retorna o nome do dia da semana atual - para o dia de hoje o valor retornado é: Sunday
date("w")
Retorna o número correspondente ao dia da semana atual - para o dia de hoje o valor retornado é: 0
date("H")
Retorna a hora atual - para o dia de hoje o valor retornado é: 02
date("i")
Retorna o minuto atual - para o dia de hoje o valor retornado é: 11
date("s")
Retorna o segundo atual - para o dia de hoje o valor retornado é: 12

O exemplo a seguir ilustra o uso da função documentaçãodate


Código:
 
   
   

   
   

       
    echo "Hoje é " . date("l") . "
";

    ?>
   
   
   



[Você precisa estar registrado e conectado para ver esta imagem.] Ver o resultado do exemplo
A hora é: 1348359072

Ops...
aqui parece coisa para nerds. A função documentaçãotime() retorna a
hora atual em número de segundos contados desde 1 de janeiro de 1970 às
12:00 PM, GMT.




[Você precisa estar registrado e conectado para ver esta imagem.] Ver o resultado do exemplo

A
representação da hora em segundos, contados desde 1 de janeiro de 1970
às 12:00 PM, GMT é chamada "timestamp" (UNIX timestamp) que é uma
representação muito útil quando se trabalha com datas/horas passadas e
futuras.

Por padrão, a função documentaçãodate usa o timestamp
atual (isto é, o valor corrente de documentaçãotime()). Mas, usando um
parâmetro você pode especificar o retorno da função em um diferente time
stamp e assim trabalhar com datas passadas e futuras. No exemplo a
seguir nós definimos o timestamp para 0 segundos a partir de 1 de
janeiro de 1970 às 12:00 PM, GMT. Fazendo assim podemos verificar qual
foi o dia da semana de 1 de janeiro de 1970.



Código:
 
   
   
   
   

       
    echo "O dia da semana em 1 de janeiro de 1970 foi  " . date("l",0) . "
";

    ?>

   
   



[Você precisa estar registrado e conectado para ver esta imagem.] Ver o resultado do exemplo



A
menos que você seja um gênio da matemática é muito complicado calcular o
número de segundos passados desde de 1 de janeiro de 1970 para uma
determinada data. Felizmente existe uma função chamada
documentaçãomktime que realiza o cálculo.

A sintaxe para a função
documentaçãomktime é (hora, minuto, segundo, mês, dia, ano). O exemplo a
seguir faz a conversão para a data da chegada do homem à lua (21 de
julho de 1969 às 02:56):


Código:
 
   
   
   
   

       
    echo mktime (2,56,0,7,21,1969);

    ?>

   
     



[Você precisa estar registrado e conectado para ver esta imagem.] Ver o resultado do exemplo,

Notar que o retorno foi um número negativo. Isto indica que a data é anterior a 1 de janeiro de 1970.

Agora
já podemos no valer do que até aqui aprendemos e usar a função
documentaçãodate para saber qual foi o dia da semana em que ocorreu o
evento histórico da chegada do homem à lua.



Código:
   
   
   
   
   

       
    echo date("l", mktime(2,56,0,7,21,1969));
   
    ?>
   
   
   



[Você precisa estar registrado e conectado para ver esta imagem.] Ver o resultado do exemplo

Mas afinal qual a utilidade prática?

Até
agora tudo parece muito teórico. Afinal de que maneira posso usar uma
do tipo documentaçãotime() de uma forma prática? Ao aprender algo novo é
importante saber se você poderá usar o que aprendeu em uma página web.

Considere
que o que você aprende neste tutorial é a construção de blocos de
códigos - o que você pode fazer com eles depende somente da sua
criatividade e está limitado apenas pela sua imaginação! Eu ousaria
afirmar que você já aprendeu muito mais do que está pensando. Por
exemplo: você acha que é capaz de criar um background para uma página
que mude a cada dia da semana e funcione em todos os navegadores?

Claro que você é capaz! Observe o exemplo a seguir:

Código:
   
   
   
   

    .png">

   
   



[Você precisa estar registrado e conectado para ver esta imagem.] Ver o resultado do exemplo


O
exemplo mostrado, que usa uma imagem de fundo dinâmica, requer que você
construa apenas sete imagens e as nomeie como background_1.png,
background_2.png, background_3.png, etc.

Se o usuário entra no
seu site na terça feira a imagem de fundo será background_2.png e no dia
seguinte será background_3.png. Fácil e simples!


Lição 5: Loops

Na
linguagem PHP existem diferentes estruturas de controle destinadas a
gerenciar a execução de scripts. Nesta lição nós estudaremos os loops.
Loops são usados para executar repetidamente uma parte de um script em
um determinado número de vezes ou até que seja encontrada uma
determinada condição.
Loop "while"

A sintaxe para um loop documentaçãowhile é conforme mostrada a seguir:


Código:
    while (condição) {
        Comandos PHP de execução
    } 

Esta sintaxe pode ser traduzida para linguagem corrente como: execute comandos PHP enquanto (while) a condição for satisfeita.

Vejamos um exemplo bem simples:


Código:
   
   
   

   
   

   
    $x = 1;
   
    while ($x <= 50) {
      echo "Este texto se repete 50 vezes
";
      $x = $x + 1;
    }
    ?>

   

     


[Você precisa estar registrado e conectado para ver esta imagem.] Ver o resultado do exemplo
No
exemplo mostrado usamos uma variável denominada "$x". Como você pode
notar, nomes de variáveis em PHP sempre começam com o caractere "$". No
início é fácil esquecer esta sintaxe, contudo é absolutamente necessário
o símbolo "$" para iniciar o nome de variáveis, pois do contrário o
script não funciona.

Além disto o restante do script é
auto-explicável. No começo a variável $x recebe o valor 1. A seguir o
loop pede para o servidor executar o comando de escrever um texto
enquanto a variável for menor do que 50. A cada execução a variável é
incrementada de 1 unidade.
Loop "for"

Outra maneira de executar um loop é com uso de documentaçãofor conforme mostrado a seguir:



Código:
    for (Inicialização; Condição; passo) {
        Comandos PHP de execução
    }


Os
comandos PHP de execução se repetem com a 'Inicialização' + 'passo'
enquanto a 'Condição é satisfeita'. Se isso não faz sentido para você o
exemplo a seguir esclarece melhor:


Código:
   
   

   
   
   

   
    for ($x=0; $x<=50; $x=$x+5) {
      echo 'A variável $x agora tem o valor igual a ' . $x . '
';
    }
    ?>

   
   


[Você precisa estar registrado e conectado para ver esta imagem.] Ver o resultado do exemplo

No
exemplo mostrado $x é incrementado de 5 unidades em cada loop. O loop
continua sua execução enquanto $x for menor ou igual a 50. Notar que o
valor de $x é usado como parte do texto a ser escrito pelo script.

Observe outro exemplo:



Código:
    for ($x=1; $x<=6; $x=$x+1) {
      echo " Cabeçalho nível";
    }
    ?>



[Você precisa estar registrado e conectado para ver esta imagem.] Ver o resultado do exemplo


Você
entendeu? começamos definindo o valor de $x igual a 1. A seguir em cada
loop escrevemos um cabeçalho nível $x (h1, h2, h3, etc.) até $x
alcançar o valor seis.

Loops dentro de loops

A princípio não existe limite para a quantidade de loops a usar. Você pode facilmente aninhar loops e criar muitas repetições.

Mas,
cuidado! A execução de PHP torna-se lenta quando desenvolvemos scripts
extensos e complicados. Por exemplo: observe a seguir o script com três
loops capaz de escrever 16 milhões de cores!

Com a finalidade de
não tornar a página de carregamento muito lento nós reduzimos
drasticamente o número de repetições para passos de 30 limitando o
número de cores escritas para 512.



Código:
    for ($intRed=0; $intRed<=255; $intRed=$intRed+30) {

      for ($intGreen=0; $intGreen<=255; $intGreen=$intGreen+30) {

          for ($intBlue=0; $intBlue<=255; $intBlue=$intBlue+30) {
   
          $StrColor = "rgb(" . $intRed . "," . $intGreen . "," . $intBlue . ")";
         
          echo "[color="]" . $StrColor . "[/color]";
   
          }
      }
    }
    ?>


[Você precisa estar registrado e conectado para ver esta imagem.] Ver o resultado do exemplo


No
exemplo mostrado cada uma das três cores primárias (red, green e blue)
pode ter um valor entre 0 e 255. Qualquer combinação de três valores
resulta em uma cor do tipo rgb(255,255,255). O código da cor é escrito
em um elemento que por sua vez é estilizado com a respectiva cor.


Lição 6: Condicionais

Condicionais
são usadas para executar um bloco de script sempre que determinada
condição seja satisfeita. Por exemplo: uma condição pode estabelecer que
uma data seja posterior a 1 de janeiro de 2012 ou que uma variável seja
maior do que 7.
If...

A primeira condicional que estudaremos é o documentaçãoif cuja sintaxe é mostrada a seguir:


Código:
    if (condition) {
      Comandos PHP
    }



Mais
uma vez a sintaxe se parece com a linguagem corrente: If (Se) se a
condição é satisfeita, execute alguma coisa. Vejamos um exemplo simples:


Código:
    $x = 2;

    if ($x > 1) {
      echo "A variável $x é maior que 1
";
    }
   
    ?>





if ... else ...


Vejamos agora a condicional documentaçãoelse cuja sintaxe é mostrada a seguir:


Código:
    if (condição) {
      comandos PHP
    }
    else {
      Comandos PHP
    }



Mais
uma vez a sintaxe se parece com a linguagem corrente: if (se) a
condição é satisfeita, execute alguma coisa else (se não) execute outra
coisa.

Na Lição 4 mostramos como encontrar o número
representativo do mês. No exemplo a seguir usaremos este número em uma
condicional documentaçãoif documentaçãoelse para encontrar em qual das
estações do ano estamos:



Código:
    if (date ("m") == 3) {
      echo "Estamos no outono!
 ";
    }
    else {
      echo "Eu não sei em que estação estamos!
 ";   
    }

    ?>   



[Você precisa estar registrado e conectado para ver esta imagem.] Ver o resultado do exemplo


Notar que se trata de uma condicional não muito inteligente - ela só funciona para o Mês de Março!

Contudo,
existem várias maneiras de aperfeiçoar a condicional tornando-a mais
precisa. Observe a seguir alguns operadores de comparação que podemos
usar na condicional mostrada:

== Igual
< Menor que
> Maior que
<= Menor ou igual a
>= Maior ou igual a
!= Diferente


Existem também operadores lógicos:

&& e
|| ou
! não


Operadores
se destinam a criar condicionais mais precisas e com seu uso podemos
melhorar o exemplo mostrado anteriormente fazendo com que o retorno do
script seja a estação primavera em todos os meses que ela ocorre e não
somente em março:


Código:
  if (date("m") >= 3 && date("m") <= 5) {
      echo " Estamos no outono!
 ";
    }
    else {
      echo " A estação atual é primavera, verão ou inverno!
 ";
    }
   
    ?>



Vamos examinar estas novas condicionais:


Código:
    date("m") >= 3 && date("m") <= 5


Pode ser traduzida como:


Código:
    Se o número que representa o mês for maior ou igual a 3  e menor ou igual a 5



Legal não é? Operadores são largamente usados em diferentes blocos de script do PHP.

Contudo
nosso exemplo só funciona para os meses de março, abril e maio, Os
demais meses não são contemplados pela condicional. Assim, vamos
aperfeiçoá-lo mais:
if ... elseIf ... else...

Usando documentaçãoelseif podemos expandir a condicional e fazer com que nosso script funcione para todos os meses do ano:


Código:
  if (date("m") >= 3 && date("m") <= 5) {
      echo "Estamos no outono!
";
    }

    elseif (date("m") >= 6 && date("m") <= 8) {
      echo "Estamos no inverno!
";
    }

    elseif (date("m") >= 9 && date("m") <= 11) {
      echo "Estamos na primavera!
";
    }

    else {
      echo "Estamos no verão!
";
    }
   
    ?>


[Você precisa estar registrado e conectado para ver esta imagem.] Ver o resultado do exemplo

Escrever
condicionais é uma questão de lógica e método. O exemplo mostrado é bem
esclarecedor, porém o uso de condicionais pode tornar-se bem mais
complexo.
switch ... case

Outra maneira de se escrever condicionais é com uso do método documentaçãoswitch:


Código:
    switch (expressão) {
 
    case 1:
      comandos PHP
      break;   
    case 2:
      comandos PHP
      break;
    default:
      comandos PHP
      break;
    }

Este
método toma por base uma expressão e a seguir relaciona uma série de
"respostas" ou "valores" e respectivos comandos PHP. A maneira mais
fácil de entender esta condicional é observando um exemplo.

Na
lição 4 nós vimos que a função documentaçãodate("w") retorna um número
representando dia da semana. Vamos mostrar um exemplo para escrever o
nome do dia da semana em lugar do número que o representa:


Código:
 switch(date("w")) {
   
    case 1:
      echo "Hoje é segunda-feira";
      break;
    case 2:
      echo "Hoje é terça-feira";
      break;
    case 3:
      echo "Hoje é quarta-feira";
      break;
    case 4:
      echo "Hoje é quinta-feira";
      break;
    case 5:
      echo "Hoje é sexta-feira";
      break;
    case 6:
      echo "Hoje é sábado";
      break;
    default:
      echo "Hoje é domingo";
      break;
   
    }
   
    ?>


[Você precisa estar registrado e conectado para ver esta imagem.] Ver o resultado do exemplo

Em
geral documentaçãoswitch é uma boa alternativa para a condicional
documentaçãoif documentaçãoelse. Qual delas usar em uma determinada
situação depende somente de você. Use aquela que você considera mais
fácil e lhe pareça mais lógica. Criar scripts lógicos e claros pode se
constituir em um grande desafio para o desenvolvedor.


Lição 7: Comentando seus scripts

Como
você já deve ter concluído, um script PHP pode se tornar bastante
confuso de entender. Nesta lição falaremos sobre comentários, sua
importância e a maneira correta de inserí-los nos seus scripts.
Por que é importante comentar os scripts?

Quando
codificamos, estamos escrevendo comandos para um servidor/computador
usando uma linguagem estritamente formal que pode não refletir
claramente o que você estava pensando quando criou o script.

Ora,
isso pode criar dificuldades para terceiros (ou mesmo para você) quando
se tratar de entender como o script foi estruturado e como consequência
tornar extremamente árdua a tarefa de identificação e correção de
erros.

Comentários são usados para se escrever pequenos textos
explanatórios no script. O servidor ignora qualquer comentário no script
e eles não afetam ou interferem com a funcionalidade do script.

No
mundo dos negócios é comum as Companhias exigirem que os scripts e
programas sejam comentados, pois é considerado um alto risco aceitar um
sistema no qual a identificação e correção de erros se torna uma tarefa
difícil pela falta de comentários.
Como inserir comentários?

É fácil inserir um comentário. Você simplesmente começa um texto de comentário escrevendo duas barras: "//".

Observe um exemplo mostrado na lição 5 no qual inserimos comentários:



Código:
    // Escreve código de cores usando três loops

    // Vermelho pode estar entre 0 e 255
    for ($intRed=0; $intRed<=255; $intRed=$intRed+30) {

      // Verde pode estar entre 0 e 255
      for ($intGreen=0; $ intGreen<=255; $intGreen=$intGreen+30) {

          // Azul pode estar entre 0 e 255
          for ($ intBlue=0; $intBlue<=255; $intBlue=$intBlue+30) {

          // O código de cores tem o formato rgb(vermelho,verde,azul)
          $strColor = "rgb(" . $intRed . "," . $intGreen . "," . $intBlue . ")"

          // Aqui escrevemos o código da cor
          echo "[color="] " . $strColor . " [/color]";

          // Fecha os loops
          }
      }
    }

    ?>


Para
clareza do exemplo incluímos muitos comentários extras mostrando
inequivocamente que os comentários auxiliam, e muito, a tarefa de
debugar o script.


Lição 8: Arrays

Nesta lição veremos o que array, como usá-los e o que podemos fazer com eles.

Entender
arrays pode ser um pouco difícil no início. Mas, não desanime, vamos
tentar... nós iremos tornar o processo de aprendizado o mais fácil
possível.
O que é array?

Array é uma coleção (ou conjunto) de elementos indexados na qual cada um dos elementos tem um número identificador único.

Parece confuso? Creia, não é tão complicado.

Imagine uma lista de palavras separadas por vírgula como a mostrada a seguir:



Código:
    maçãs, peras, bananas, laranjas, limões

Agora
imagine dividir a lista tomando como separador cada vírgula. Em seguite
atribua a cada divisão um número identificador único:
[Você precisa estar registrado e conectado para ver esta imagem.]

O
que você acabou de ver é um array. Podemos dar um nome para o array
como, por exemplo, "frutas". A idéa é que possamos acessar o array
usando um número identificador e com ele consultar o valor
correspondente usando uma sintaxe como mostrada a seguir:

frutas(0) = maças
frutas(1) = peras
frutas(2) = bananas
frutas(3) = laranjas
frutas(4) = limões

esta é a idéia por trás de arrays. Vamos ver um exemplo prático.
Como usar um array?

Continuaremos
com o array de frutas. Passo a passo mostraremos como fazer para a
lista funcionar como um array. Primeiro vamos criar uma variável para
conter a lista como mostrado a seguir:

Código:
   
    $listadefrutas = "maçãs, peras, bananas, laranjas, limões";
   
    ?>



A seguir vamos usar a função documentaçãoexplode para dividir a lista pelas vírgulas:

Código:
       
    $listadefrutas = "maçãs, peras, bananas, laranjas, limões";
   
    $arrFrutas = explode(",", $listadefrutas);

    ?>



Viva! "$arrFrutas" agora é um array!

Observe que chamamos a função documentaçãoexplode com dois argumentos:

a lista a ser dividida
e o delimitador - isto é, o caractere usado para separar os itens da lista (no caso do exemplo a vírgula) colocado entre aspas ",".

Usamos a vírgula como delimitador, mas podemos usar qualquer caractere e até mesmo uma palavra.

Vamos comentar o script e colocá-lo em uma página PHP:

Código:
   
   
    Array
   
   

   
    // Lista separada por vírgula
    $listadefrutas = "maçãs, peras, bananas, laranjas, limões";
   
    // Cria um array seprando os itens da lista (tendo a vírgula como delimitador)
    $arrFrutas = explode(",", $listadefrutas);
   
      // Escreve os valores do array
      echo "Lista de frutas:
";
   
      echo "
[list]";
      echo "
[*]" . $arrFrutas[0] . "";
      echo "
[*]" . $arrFrutas[1] . "";
      echo "
[*]" . $arrFrutas[2] . "";
      echo "
[*]" . $arrFrutas[3] . "";
      echo "
[*]" . $arrFrutas[4] . "";
      echo "
[/list]";

    ?>

   
   


[Você precisa estar registrado e conectado para ver esta imagem.] Ver o resultado do exemplo

este exemplo é muito simples e na verdade não há vantagem alguma em usar um array para realizar este tipo de tarefa. Mas, um momento... arrays podem ser usadas de maneira muito mais vantajosa.
Loop por um array

Na lição 5 estudamos loops. A seguir veremos como realizar um loop por um array.

Quando você conhece o número de itens de um array não encontra problemas para definir um loop por ele. Você começa em 0 e desenvolve o loop até atingir o número de itens do array. No exemplo das frutas um loop pelo array seria como mostrado a seguir:

Código:
   
   
    Array

   
   

   
    // Lista separada por vírgula
    $listadefrutas = "maçãs, peras, bananas, laranjas, limões";
   
    // Cria um array seprando os itens da lista (tendo a vírgula como delimitador)
    $arrFrutas = explode (",", $listadefrutas);
   
      echo "Lista de frutas:
";
      echo "
[list]";
   
      // Loop pelo array $arrFrutas
      for ($x=0; $x<=4; $x++) {
          echo "
[*]" . $arrFrutas[$x] . "";
      }
   
      echo "
[/list]";

    ?>
   
   
   


[Você precisa estar registrado e conectado para ver esta imagem.] Ver o resultado do exemplo

Como você pode notar a variável $x (que cresce de 0 a 4 no loop) foi usada para chamar o array.
Como encontrar o tamanho de um array

Mas, o que acontecerá se uma outra fruta for adicionada à lista? Nosso array passará a ter mais um item cujo número identificador será 5. Já deu para ver o problema? Precisamos alterar o loop para que ele funcione de 0 a 5, caso contrário não serão incluídos todos os elementos do array.

Não seria maravilhoso se pudéssemos saber automaticamente quantos itens um array tem?

É isso exatamente o que faremos a seguir com uso da função documentaçãoforeach. Agora podemos criar um loop que funciona em todo array independentemente do número de itens nele contido:


Código:
          foreach ($arrFrutas as $x) {
          echo $x;
      }
    ?>



este loop funciona independentemente do número de itens contido no array.
Outro exemplo

A seguir mostramos um exemplo, usando array, para escrever os nomes dos meses:

Código:
   
   
    Array

   
   

        // Cria um array dos meses.
    // Cria um array com os meses. Notar a vírgula antes do mês de janeiro. Isto é necessário //porque não existe mês representado pelo número
    $arrMes = array("","Janeiro","Fevereiro","Março","Abril","Maio","Junho","Julho","Agosto","Setembro","Outubro","Novembro","Dezembro");
   
    // Chama o array com o número do mês - escreve no navegador do usuário
    echo $arrMes[date("n")];
    ?>

   
   



[Você precisa estar registrado e conectado para ver esta imagem.] Ver o resultado do exemplo

Notar que usamos a função documentaçãoarray e não documentaçãoexplode para criar o array.


Última edição por Sr.Herry em Sab 22 Set 2012 - 23:58, editado 2 vez(es)

Swift


Mensagens : 1431
Pontos : 2160
Evolução : 3


Ver perfil do usuário http://www.bgames.com.br

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: [Tutorial] Completo PHP #aula n° 1#

Mensagem por Convidad em Sab 22 Set 2012 - 22:48

Tópico movido para área correta, preste mais atenção. E coloque os créditos do site HTML.net, por favor!

Convidad
Convidado


Voltar ao Topo Ir em baixo

Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Voltar ao Topo


 
Permissão deste fórum:
Você não pode responder aos tópicos neste fórum